CAMPANHA DE VALORIZAÇÃO DOS (AS) SERVIDORES (AS) PÚBLICOS (AS)

Notícia
Para aprovar a Reforma Administrativa (PEC 32/2020), o Governo Federal engana a população dizendo que o problema do país são os gastos com serviços públicos e com servidores.
Mas basta uma rápida olhada no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2021 para ver com quem o governo projeta gastar a maior parte dos recursos: com o sistema financeiro!
O governo pretende destinar quase 54% do orçamento para pagar uma dívida pública que nunca foi auditada e que ninguém sabe o quanto dela seria “real”.
Mas sabe quanto o governo vai gastar com saúde? Apenas 2,85%.
E com educação? Só 2,69%. O sistema é tão bem montado para beneficiar os bancos que o governo continua pegando empréstimos com os bancos para pagar juros para os próprios bancos.
Não é estranho que o governo minta, dizendo que está pagando a dívida, se ela continua aumentando absurdamente ano após ano?
Segundo dados do Tesouro, em 2018 a dívida estava em R$ 5,5 trilhões. O governo disse que pagou, em 2019, R$ 285,09 bilhões em juros e encargos e R$ 752,48 bilhões em “amortização” (que seria o abatimento do valor real), mesmo assim a dívida cresceu para R$ 5,9 trilhões!
Imagine uma pessoa que financia uma casa e paga mensalmente as parcelas do financiamento, mas, em vez de reduzir o montante devedor, ele aumenta?
O governo engana a população, dizendo que está com o orçamento engessado com “despesas obrigatórias”, mas ele só conta os gastos que realmente serão destinados à população. Ele esconde dos cálculos o quanto destina para os bancos!
É claro que destinando a maior parte dos recursos para o sistema financeiro não sobra o suficiente para o restante que precisa ser feito. Estados e municípios, por exemplo, receberão repasses de apenas 7%.
O sistema da dívida suga a capacidade de investimento do Estado, reduz a atividade econômica e isso tem impacto em toda a cadeia produtiva e na renda dos brasileiros.
Viu por que a Reforma Administrativa do governo servirá apenas para destinar ainda mais recursos para o sistema financeiro?
Por isso, valorize o serviço público. Porque ele sim é para todos!