UEM SUSPENDE A PARALISAÇÃO E MANTÉM O "ESTADO DE GREVE" E ASSEMBLEIA PERMANENTE

Edital

UEM SUSPENDE A PARALISAÇÃO E MANTÉM O "ESTADO DE GREVE" E ASSEMBLEIA PERMANENTE

 

Em assembleia nesta quinta-feira, 5/12/19,os servidores da UEM ouviram e avaliaram os informes trazidos de Curitiba por JoséMaria Marques, presidente do SinteemaR, e, tomando como parâmetro o cenárioestadual, deliberaram: 1) pela suspensão da greve, imediatamente; 2)pela aprovação de “estado de greve” e 3) pela manutenção de “AssembleiaPermanente”. Esta é a orientação dada pelo Fórum das Entidades Sindicais.

 

Das 39 emendas apresentadas pelosdeputados de oposição, apenas 9 foram acatadas. Entre elas destacamos:

- garantia darevisão anual das aposentadorias e pensões;

- manutençãoda isenção de contribuição previdenciária dos aposentados por doenças graves;

- garantiado abono de permanência (100%);

- aumento de2 para 3 salários mínimos de isenção;

- manutençãodas verbas que comporão os cálculos da aposentadoria (insalubridade, periculosidade,GAS, incentivo a titulação).

 

Durante a assembleia de hoje, aprovou-se,também, a realização de debate no dia 16/12 (segunda-feira), às 14 horas, noauditório do SinteemaR, visando ampliar as discussões e detalhar para osservidores, os reais prejuízos que os deputados da base do Governo impuseram, maisuma vez, para a classe trabalhadora, aprovando o Projeto de Emenda Constitucional/PR,referente à Reforma da Previdência, imposta pelo Governo Bolsonaro.

A votação das mudanças naaposentadoria dos servidores, que deveria ocorrer na Assembleia Legislativa,com discussão com as categorias, foi transferida para a Ópera de Arame, em “reuniãosecreta”, e aprovada em regime de urgência, sob forte esquema de segurança. Cercade 800 policiais militares foram convocados para garantir a votação, permitindo acesso apenas dos Deputados, Assessores eImprensa credenciada. Um “belo exemplo” de democracia, foi demonstradonovamente pela classe política à população.



* Secretariade Comunicação do SinteemaR